";
Featured Video Play Icon

Forza Motorsport 7 | Any Given Sunday – Forza Racing Cup – 5ª Etapa / Brands Hatch – Highlights

17 de Janeiro de 2018

Largo neste texto citando um trecho da crônica, publicada a quase 1 década no blog do Noblat e escrita, se não me falha a memória, por Luis Fernando Veríssimo, O último engarrafamento: “A boa notícia é que nunca se viu tantos carros nas ruas. A má notícia é que nunca se viu tantos carros nas ruas”. Recomendo a leitura, diga-se de passagem. Mas Veríssimo não imaginaria, também pudera, que em plena Brands Hatch teríamos tantos carros disputando a Druids com tamanha fome, como se estivéssemos em plena hora do rush.

 

A Forza Racing Cup realizou sua 5ª etapa em Brands Hatch, localizada na cidade de Kent, Inglaterra, e permitam-me ponderar: Não sei porque insistiram tanto com Silverstone tendo Brands Hatch – mas isso é outro papo. Eu, particularmente, acho a pista “chata”, mas não sou louco de jogar pela janela do meu Aston Vantage a história desta tão cultuada (e temida) pista. É, sim, um local respeitado por todos e quiçá mais contemplado do que Snetterton, Goodwood, Thruxton entre outros, inclusive Silverstone.

 

Vamos para pista… Antes, leia uma das manchetes, na manhã que antecedia a prova, do The Guardian – edição online “Áreas de instabilidade associadas a um sistema de baixa pressão atmosférica que se formaram sobre Londres, avançaram para Kent e provocam chuva desde a madrugada.

 

Tivemos um qualy (Modo Ghost On) realizado em condições de tempestade com muitos trovões e, o respeito pela pista falou muito alto. A temida Paddock Hill Bend materlava nossa cabeça a cada um minuto e meio e a cada passagem ilesa um sentimento de “ufa”, mas logo vinha a Druids, a Clearways, a Clark Curve e, sempre ela, Paddock novamente. Rapaziada, dificilmente você consegue encaixar uma sequência de boas voltas em Brands Hatch. Meu resultado, em particular, foi acima do esperado… confesso!

 

São Douglas (Organizador da Copa e estagiário de São Pedro) configurou a corrida para termos, só pode, carros em full aquaplanagem (ou, lençol de água) no meio da corrida. Agora, nobre leitor, imagina 25 voltas num clima hostil, pois iniciar com nevoeiro denso e terminar sob neblina é mole, o problema é quando vem aquela chuvinha marota (marota? Tá de sacanagem, né!!!). Permita-me traçar uma soma linear e dizer que foi como se tivéssemos uma etapa com chuva forte (conhecido “toró” – e não me venha lembrar do Papai Joel com o Torózinho da Gávea – 100ôr), pois a sensação de que “vai dar merda” precede os primeiros pingos de chuva. Reza a lenda que enquanto corríamos os aeroportos na Inglaterra, como Manchester, Birmingham, Newcastle, Jersey e outros que não me lembro o nome, tinham TODOS os voos com comunicado de cancelados “estalando” no telão e pessoas questionando: “Poxa, poderia estar assistindo a Forza Racing Cup e nem isso vocês conseguem passar nesses imensos telões!?”, “Quero estorno da minha passagem e um carro pra Brands Hatch, lá está rolando corrida” e lá no guichê um Senhorzinho, entre uma tosse seca e outra, de voz baixa como o som de um F-E, decorrência de sua presbifonia acentuada, falava com o responsável da cia aérea: “Meu filho, você conhece o Cabelo de Londrina? Então, O Cabelo está pilotando em Brands Hatch um Aston Martin Vantage ´16 – Série Hasta la vista baby e na chuva moço, estou preocupado com aquele rapaz simpático”.

 

Sério, foi uma prova magnífica e divertida demais – agora divertido virou sinônimo de desesperador, tá anotado aqui! Tínhamos, na semana que antecedeu a prova, preocupação justifica a cada treino que a prova teria muitas escapadas, batidas e sabe-se lá o que um sobresterço nos entregaria. Todos pilotando na ponta dos dedos, muito concentrados e despejando toda sua habilidade. (Quem?!)

 

O vídeo tema deste post retrata apenas um fio (pode ser de água…rs) do que foi este encontro entre amigos numa pista qualquer e, isto me deu um gancho para lembrar, já que iniciei com uma citação, e finalizar este texto com uma de um filme de 1999 chamado Um Domingo Qualquer: “Em um domingo qualquer você pode ganhar ou perder um jogo. A questão é: você pode ganhar ou perder como um homem?” É, Tony ganhou aquele vestiário – Que homem!!! E nosso domingo de automobilismo virtual terminou com homens vitoriosos.

 

Parabenizo, mais uma vez, a organização da Copa e seus ilustres pilotos. Todos deram show! Prazer correr com os senhores.

 

Que venha Road América!!!!

 

Pilotada do Forza,

 

Tudo nosso,

 

Boêmio

%d blogueiros gostam disto: